Contexto

What’s next: Innovation in Newspapers

“The death of a city is the death of the newspapers. Only vibrant and lively cities have and will continue to have healthy newspapers.”, Leo Bogart

Nos últimos dias tenho andado agarrado a este site/blog. Pela minha paixão pela profissão, pelo que me dá a conhecer e por aquilo que me vai ensinando. Em tempos de crise, e mesmo sabendo que a vida de um jornalista em Portugal é, actualmente, uma miragem, é reconfortante conhecer casos de sucesso, jornais que são capazes de ser originais nos  nossos tempos. E depois, há o pensamento que atravessa o jornal diagonalmente: o bom jornalismo vende, o bom jornalismo tem sucesso. E esta frase aqui citada é paradigmática de outro aspecto que nunca tinha equacionado: a vida vende. Uma cidade, uma sociedade, um povo “morto” não lê jornais. Um mundo sem um modelo não lê jornais.

Mas um mundo com esperança e vida vende. Leiam este link. Desde quando não ouvia falar em jornais esgotados? Só mesmo a esperança de alguém que carrega em si a capacidade de transformar o mundo. De contrariar a crise. De nos tornar novamente sorridentes.