Contexto

Indústria musical acaba com processos contra downloads ilegais

A RIAA, (Record Industry Association of America) decidiu virar o bico ao prego, nisto dos downloads ilegais, passando o ónus da coisa para as empresas fornecedoras de serviços de Internet, que passam a ser responsáveis pelo fecho de contas de utilizadores que descarreguem ilegalmente música. Trata-se de uma mudança de estratégia, pois os processos contra utilizadores individuais e sites como o Napster, por exemplo, revelaram-se morosos e, em vários casos, a favor do utilizador.

Bem, trata-se de um assunto recorrente e sem fim à vista. O que sublinho aqui é a forma como se passa esta mensagem. Ora, a imagem que ilustra a peça do Expresso online, onde li a notícia, é um cartaz que associa os downloads ilegais ao comunismo.

Sinceramente, é tão primário, tão anos 50, que a única mensagem que passa é a de idiotice pegada. Pior forma possível de pegar num tema destes.