Contexto

Dia da cidade

Hoje, dia 16 de Junho, a minha cidade festeja a elevação a cidade, facto ocorrido há 35 anos, se a minha sabedoria não me engana. Por pouco, a data passava-me ao lado, não fosse um amigo meu alertar-me para o facto. Claro que passar mais de metade do dia fora do local que me viu nascer não ajuda, aliado às celebrações da passagem da data serem…inexistentes? Não direi tanto, mas nem um fogo-preso ouvi durante o anoitecer da cidade.

E Espinho até tem motivos para celebrar. Finalmente, após anos de sonho, a linha foi enterrada, se bem que só um excerto. As obras à superfície ainda não permitem vislumbrar o que vai brotar da gigantesca avenida que foi artificialmente criada. O Verão está aí, apesar de algumas chuvas ainda indiciarem o contrário. Os bares de Verão estão aí e parece-me que é para ficar.

No entanto, esta cidade parece muito mortiça. Nem no próprio aniversário arrebita. Já parece aquelas pessoas que, a partir de uma certa idade, deixam sequer de cantar os parabéns, de soprar as velas, de comprar o bolo!

Oh Espinho, Espinho…